Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

quatro de treta e um bebé!

"Não me digam que concordam comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado." – Oscar Wilde

quatro de treta e um bebé!

"Não me digam que concordam comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado." – Oscar Wilde

28
Jan21

Era uma vez #9 - 2020

quatro de treta e um bebé

 

 

Olá pessoas!

Bom ano! até ao fim de janeiro é ok desejar bom ano não é? ahah

Leituras, como foram em 2020? As minhas não foram más de todo e é isso que vos venho contar. Talvez sugerir algumas leituras para este confinamento, já que parece que está aí para ficar, então que seja acompanhado de bons livros!

Uma vez que em 2019 só tinha lido uns 18/19 livros e queria ter lido uns 30, achei que não me podia aventurar muito em 2020 e firmei como meta 20 livros! felizmente li mais do que isso. O goodreads diz que li 35 mas 5 ou 6 são infantis e não entram para as contas da minha meta.

1.JPG

2.JPG

3.JPG

Os livros que mais gostei foram: "A Mulher com Sete Nomes" de Hyeonseo Lee, o "Boas Esposas" da Louisa May Alcott, "Um comércio respeitável" da Philippa Gregory, "O Jardim Secreto" de Frances Hodgson Burnett, o "Confesso" da Colleen Hoover, os 5 do Harry Potter que (re)li!

O livro que menos gostei foi o "Aqui Entre Nós" da Jane Fallon, posso mesmo dizer que se soubesse não o leria. Mas, tirando esse, acho que gostei de todos os livros que li! 

Mais um ano se passou e cada vez mais se nota o quão importante é um bom revisor num livro. Os livros mal revistos, com más traduções, com gralhas e erros que não deveriam existir (e não,não falo de gralhas normais e que são faceis de passar quando se trabalha muito tempo num texto) fazem a leitura perder bastante da piada que poderiam ter! E também começamos a perceber que editoras se preocupam com isso e aquelas que não querem saber. (O que se percebe - também - na panóplia de livros que li em 2020). 

Vamos lá ver como corre 2021, nas leituras pelo menos!

Comecei o ano a reler um livro que se fosse comida estaria na categoria de comfort food, o "Noite de Reis" da Trisha Ashley. Aventurei-me no "As Mensageiras da Esperança" da Jojo Moyes que gostei mas cuja review farei num proximo post! Entretanto desafiaram-me a (re)ler os livros da Julia Quinn, dos Bridgerton (sim eu comecei a ler estes livros em 2012 e terminei-os em 2016 e sim, vi a série na netflix), por isso reli o segundo do Anthony, que adoro! Mas o meu preferido.. ah o meu preferido será sempre o Colin (também falaremos disto num próximo post!). Li ainda "O amor da tua vida" da Cecilia Ahern e estou a meio do Harry Potter e o Principe Misterioso. Ou seja, para já Janeiro vai muito bem em leituras mas parece-me que será um ano de reler livros e matar saudades!

21.JPG

Para 2021 tenho a meta de 25 livros, e vocês? 

Bom ano e boas leituras.

F. 

 

 

 

 

10
Jan21

Retrospectiva.

quatro de treta e um bebé

Já tive a oportunidade de partilhar convosco o quanto gosto de mudanças de ano. Talvez justificado por algum transtorno obsessivo compulsivo que desconheço ter, às zero horas do dia 1 de janeiro, fecho o ciclo e inicío um novo. Deixo para trás o que fiz menos bem e recomeço. Pelo menos, figurativamente.

Por esse motivo, todos os anos, religiosamente, como já tive a oportunidade de partilhar, escolho as doze uvas passas, e encarrego-as da difícil, mas grandiosa, tarefa de transportarem consigo os doze desejos para o novo ano.

Sem me dar conta, durante as doze badaladas que davam inicio ao ano de 2020, pedi tempo. Não desta forma, não de forma consciente, não utilizando estas palavras. Os desejos consubstanciavam-se, essencialmente, no tempo. Estar com os meus, visitar e ser visitada, viajar, conhecer, perder-me e encontrar-me.

Sem me dar conta, em Março, esse tempo chegou. O mundo parou, as pessoas recolheram a suas casas e o tempo sobrou.

Houve tempo para chamadas e videochamadas, para momentos em família, para estar. Mesmo à distância de um telemóvel.

Então percebi que o tempo, só por si, não basta.

Por isso, para 2021, pedi para não ter tempo. E concentrei os meus desejos apenas nisso. Que este novo ano me permita estar com os meus, de tal forma, que não tenha tempo para mais nada.

Talvez devesse ter sido esse o pedido de 2020: estar com os meus tanto tempo, que não tenha tempo para mais nada!

M.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D