Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

quatro de treta e um bebé!

"Não me digam que concordam comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado." – Oscar Wilde

quatro de treta e um bebé!

"Não me digam que concordam comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado." – Oscar Wilde

02
Ago18

O início de algo incrível

quatro de treta e um bebé

IMG_20180802_111206.png

Quarto post e ainda estamos a falar sobre o início?


Pois é, mas não faria sentido para mim prosseguir sem levantar um pouco o véu sobre como surgiu este blog, deixando antever quem somos, enquanto pessoas e enquanto grupo.
 
Começando, sobre nós: somos quatro Mulheres (e uma bebé) de personalidade forte, quatro Advogadas, em quatro pontos de Portugal, com personalidades completamente distintas, unidas desde 2013. A F. é a organizada; tem quadros e tabelas para quase tudo, adora viajar, devora livros e séries, é uma sonhadora. A M. é a ambiciosa; disposta a lutar para alcançar os seus objetivos, arrisca, não desiste, adora uma boa festa, e ainda tem tempo para dar asas à sua criatividade. A S. é a mãe; é graças a ela que conhecemos hoje a B., é dedicada, preocupada, trabalhadora, não sabe como dar menos de cem por cento seja ao que (ou quem) for. Sobre mim? Essa parte vou deixar para as outras Mulheres!
 
Corria o ano de 2017 quando surgiu a ideia de criar um blog. Como? A verdade é que nem eu sei bem! Como quase qualquer grupo de Mulheres com um grupo de conversa, volta e meia pestanejo e fico com 500 mensagens por ler, o que inevitavelmente implica que alguns pormenores das conversas me escapam (muito poucos, juro!).
Sei que em julho de 2017, exatamente um ano antes da formalização da criação do blog, nasceu um grupo no whatsapp . A ideia já vinha sendo discutida, opiniões trocadas, concepções imaginadas. A ideia pairava no ar.
Nesta fase, já se tinha decidido pela criação do blog, e o ponto fulcral da discussão era o nome que lhe íamos atribuir, discussão essa que se prolongou por vários meses, e que passou por quase tudo, desde comida, a cores, bebidas, cafés, saladas de fruta, verde menta, sardinhas (nem imaginam os “ palavrões ” que já chamamos a esta ideia de blog)! Em paralelo, um sem fim de contemplações e cogitações sobre o nosso blog.
Até que um dia recebemos a feliz notícia de que o nosso grupo vai ganhar um quinto membro! E tudo muda.
De repente, já temos nome para o blog. De repente, já se começam a planear os primeiros posts. De repente, já o estamos a criar. E eis que o blog surge!
Na verdade, a história que eu tenho para contar é bastante curta. Como surgiu? Como se foi desenvolvendo? Quantos nomes chegaram a ser propostos? De quantos temas falámos? Com quantos posts fantasiámos? Sobre quantos pormenores divagámos? A verdade é que não vos sei dizer! Qual o rumo que o blog vai tomar? Quantos posts vai ter? Quantas visualizações vai alcançar? Até quando vai durar? Pois, também não vos sei dizer!
Talvez eu seja o membro com mais incertezas, sobre o blog, sobre o que escrever, sobre como o impulsionar, mas estas Mulheres não me deixariam ficar para trás, nem que eu quisesse.
 
Sei que o blog nasceu com a B.
Sei que as Mulheres que constituem este grupo são verdadeiras guerreiras, ambiciosas, lutadoras. Por mais irónico que pareça se pensarmos que o blog esteve em gestação durante um ano inteiro! Sim, as Mulheres que demoraram um ano a formalizar esta ideia, com muitas divagações pelo meio, são a razão pela qual eu vos posso garantir que isto , este blog, vai ser um sucesso.

 

R.

 

31
Jul18

Nenuco Real

quatro de treta e um bebé

WhatsApp Image 2018-07-27 at 20.44.22.jpeg

Desde cedo que todos enalteciam em mim o ar maternal.
Contam os "meus" que tratava os nenucos como se meus filhos fossem. Sentava-os à mesa, colocava-lhes babete, dava-lhes massa pelo único orifício que tinham, mudava-lhes a fralda. Quando tive varicela, eles também tiveram. Cuidei deles como cuidavam de mim.
Levava-os à praia, aplicava-lhes protector, não os expunha ao sol e levava-os ao mar, explicando-lhes que a bandeira estava amarela e que só poderiam molhar os pés!
Levava-os ao colo da minha mãe, dizendo "vai à avó"!
Passei pela gravidez colocando um balão debaixo dos meus vestidos.
Este era o meu mundo encantado...aquele que, apesar de embebido em fantasia, para mim, era o mais real de todos.
Adorava sentir que cuidava de alguém, que alguém dependia de mim, que alguém se confortava com o amor que lhes dava. Isso era ser mãe.
Já crescida, quando me perguntavam: e se te saísse o Euromilhões o que compravas? Eu respondia: nada. Era mãe de 4/5 filhos.
Hoje, tenho o NENUCO REAL.
A minha boneca preferida chegou, e é tão, tão bom. Melhor do que o que alguma vez projectei.
Ser mãe antes dos 30 era a minha meta. E aconteceu.
Hoje, com 29 anos, sinto que este ser tão pequenino chegou para dar sentido ao lado maternal que sempre esteve em mim tão evidente. Hoje com mais sentido. Hoje mais real. Hoje melhor.
A B. enche-me o coração e faz -me sentir outra pessoa. Mais completa, mais realizada e mais segura.

 

Bem-vinda B.

 

Com amor,

 

S.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D