Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

quatro de treta e um bebé!

"Não me digam que concordam comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado." – Oscar Wilde

quatro de treta e um bebé!

"Não me digam que concordam comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado." – Oscar Wilde

24
Nov19

“Paital”: Fujam!

quatro de treta e um bebé

 

5FD7DA1A-B5ED-45E0-A44B-15700594A691.jpeg

Eis que “abriu” a época natalícia e estamos oficialmente tramados e condenados a ficar com os miúdos em casa!!!!
Eu adoro o Natal o que ajuda a ter estofo para lidar com tudo isto mas digo-vos que não é fácil!
Ora bem: “Benedita, queres ir à rua?”
- “queres!”, responde ela, assertivamente.
Penso, bem vou só ali então fazer umas comprinhas e já volto.
Entro no supermercado, penso que entrei na TOYSRUS e enquanto (quase) pontapeio os brinquedos para chegar ao fiambre, tenho a Benedita a por a mão em tudo o que é brinquedo e a dizer “queres, queres”.
Explico-lhe que apesar de estar tudo entusiasmado, o Natal é só mais para a frente.
E ela continua sem querer perceber “queres, queres bebé...panda...queres”.
Respondo: sim, filha, eu percebi mas por agora é só fiambre mesmo (risos).
Entre puxões lá a trago para junto de mim, quase, quase a chegar ao fiambre... Ups, mais uma secção natalícia, agora o “paital” em todo o lado. E “queres, queres, queres,...”
Lá a enrolo mais um bocado sempre com a treta do “ai que lindo! É, depois vemos isso, agora temos que ir”.
E ela, persistente: “paital, gio, queres”.
Ainda bem que ela não tem (ainda) grande léxico e argumentação. Teremos alturas piores. Para o ano nem saio de casa.
Pensam vocês, coitada da S., ainda não comprou o fiambre. Isso!!!!!
Mas vá, depois de algum esforço lá encontro o fiambre e coloco mais umas coisas no cesto. Dirijo-me a caixa e penso “ufa, que alívio, tenho o que quero e a miúda já sossegada!”.
NÃO!!!! Ainda travo uma batalha com as pantufas, pijamas e babygrows alusivos ao Natal.
Venço-a e sigo em frente a achar-me a Super Mãe.
Chego à caixa... e não é que o “gajo” está lá de novo?
“Paital, paital!”, alerta-me a B..
Respondo com ar desinteressado e despercebido: “diz, filha!?”.
Diz-me ela: “mais, mais, paital, paital”.
E continua o senhor de barbas, agora em chocolate, a “enfernizar-me” a vida!
Já pensei fazer um acordo com ele, o que acham?
Ele aparecer só mesmo dia 25 de Dezembro? Ali uma horinha e depois transformar-se em fumo e desaparecer!! Que tal?
Quem mais trava esta batalha?
Com paciência e de pazes feitas com Pai Natal porque o adoro,
S.

 

 

 

3 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D